Joias da Amazônia: diálogos entre os estudos feministas e as vozes das educandas do Núcleo de Educação Popular Paulo Freire

ISABEL NERI

Resumo


Este trabalho investiga a realidade das educandas que participam das práticas sócio educativas do Núcleo de Educação Popular Paulo Freire-NEP, vinculado ao CCSE da UEPA. Tratam-se de mulheres oriundas das mais diferentes regiões da Amazônia, com uma faixa etária variada, as quais não frequentaram a escola em idade regular. Neste sentido, procurou-se compreender os obstáculos sociais, familiares, profissionais e econômicos que essas mulheres enfrentam, bem como a relação destes problemas com a trajetória educativa destas educandas. A pesquisa, de caráter qualitativo, desenvolveu-se em quatro instituições não escolares, sendo uma unidade de atendimento para mulheres e adolescentes, uma maternidade pública, uma casa de acolhimento para vítimas de escalpelamento e uma instituição filantrópica que atende jovens em situação de vulnerabilidade social. Todas abarcam as variadas ações pedagógicas do NEP, como Educação popular e saúde, educação sexual e educação de jovens e adultos. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com onze mulheres que frequentam estes espaços. Os dados coletados foram estudados por meio da análise de conteúdo, de forma a captar a forma como estas mulheres interpretam o "ser mulher", em meio às obrigações matrimoniais, aos dilemas da maternidade, à invisibilidade de sua importância nas atividades que garantem o sustento das suas famílias bem como as discriminações que vivenciam nas salas de aula. Como resultado, destacamos a presença de uma ideologia machista na sociedade amazônica que é refletida no cenário da escola tradicional, marcada por ser preconceituosa, excludente e insensível às questões de gênero

Palavras-chave


Educação Popular. Vozes femininas. Paulo Freire.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.