O PROCESSO EDUCATIVO NA COMUNIDADE QUILOMBOLA DE ICATÊ E A CONTRIBUIÇÃO DA FILOSOFIA AFRICANA NA FORMAÇÃO DO SUJEITO EMANCIPADO.

Gilmara Natividade Damasceno, Sâmia Maírla Viana Pimentel

Resumo


O presente artigo possui como finalidade apresentar um trabalho de campo realizado na comunidade quilombola de
Icatú em Mocajuba (PA). E este foi realizado com o intuito de estudar, descobrir e analisar o processo educativo
nesta comunidade e seus reflexos no núcleo social, a educação oferece a perpetuação da cultura e isso é de
incomensurável importância, uma vez que ambas estão intimante ligadas. Ou seja, o trabalho porta como principal
objetivo analisar o projeto educacional adotado na escola local e como este constitui nos alunos a mentalidade de
suas origens, culturas e tradições. Nesse sentido, a pesquisa de campo realizada demonstra como a educação
quilombola, o convívio em comunidade, o contexto histórico, os projetos adotados pelos educadores para uma
melhor metodologia, se o ensino afro-brasileiro estão presentes na escola e de que forma são transmitidos para os
alunos. Essas questões foram estudadas em campo e em análise bibliográfica, para se ter um desenvolvimento crítico
a respeito de uma comunidade quilombola; também, uma situação averiguada é a de como a filosofia africana possui
a função de contribuir para a emancipação do sujeito negro, uma vez que sem essa emancipação o mesmo nunca
poderá ser sujeito de sua própria história


Apontamentos

  • Não há apontamentos.