O CONCEITO DE ANGÊSTIA DE KIERKEGAARD PARA A CONSTRUÇÃO DA EXISTÊNCIA AUTÊNTICA

Milene Dayana Paes Lobato

Resumo


O trabalho corresponde ao aprofundamento da concepção filosófica da angústia iniciada por Soren Aabye
Kierkegaard (1813-1855), explanando a fundamentação e a relação que a angústia possui com a existência humana.
O artigo é fundamentado pela obra "O Conceito de Angústia" (1968) onde, através de uma pesquisa bibliográfica,
iremos compreender a origem, o conceito e a finalidade da angústia enquanto sentimento inerente ao homem. O
objeto problematizado pretende investigar o pensamento do filósofo sobre o homem existencial e as determinações
impostas sobre ele, a origem da possibilidade da liberdade humana de escolher e se responsabilizar por suas escolhas
ao interpretar a angústia presente nos três estágios da existência até a autenticidade. A análise profunda feita por
Kierkegaard sobre a angústia como fundamento da existência autêntica reflete no homem contemporâneo e nos
filósofos da corrente existencialista, especificando, assim, a importância de retomarmos seu pensamento para uma
melhor compreensão do ser hodierno.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.