SOBRE AS CARACTERÍSTICAS LOCUCIONÁRIAS NA TEORIA DOS ATOS DE FALA DE J. L. AUSTIN

Matheus Colares do Nascimento

Resumo


O objetivo deste artigo é tratar da distinção entre características locucionárias, ilocucionárias e perlocucionárias no
âmbito da Teoria dos Atos de Fala (TAF) elaborada por J. L. Austin (1911-1960). Na primeira parte, farei um breve
panorama histórico da filosofia da linguagem, no qual situarei o estudo da pragmática ressaltando a sua importância
para este ramo da filosofia. Também ressaltarei a importância de Austin como um dos principais filósofos
responsáveis pelo seu desenvolvimento como um ramo sólido da filosofia da linguagem contemporânea. Na segunda
secção, introduzirei os principais conceitos da TAF de Austin formulados na sua obra How to do things with words
(1962). Primeiramente, tratarei da distinção de caráter propedêutico entre atos constatativos e performativos,
importante para o objetivo central deste trabalho. Em seguida, discutirei as características locucionárias,
ilocucionárias e perlocucionárias dos atos de fala e algumas de suas peculiaridades. A última seção do artigo é
reservada à discussão de três objeções TAF e seus desdobramentos, nomeadamente, 1) o problema de Cohen, 2) o
carácter historicista da TAF e 3) possíveis desvios de convenções relacionados à TAF.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.