ONTOLOGIA FENOMENOLÓGICA: O PROCEDER FENOMENOLÓGICO COMO POSSIBILIDADE DE RETORNO À QUESTÃO DO SENTIDO DO SER EM GERAL EM HEIDEGGER

Antonio Joel Lima da Silva

Resumo


Buscar-se-á, neste trabalho, demonstrar como a fenomenologia-hermenêutica do ser-ai é, segundo Martin
Heidegger, a possibilidade ontológica de retomar à questão do sentido do ser em geral em Ser e Tempo. Dessa
forma, demonstrar-se-á como Heidegger formula o seu método a partir da abordagem fenomenológica empreendida
nos étimos gregos: Phainomenon e Lógos, para, assim, romper com o conceito formal de fenomenologia pensado
pelo seu professor Edmund Husserl e erigir o seu próprio método de investigação, qual seja, o método
fenomenológico-hermenêutico. Essa diferenciação, portanto, demonstra que a fenomenologia pode ser entendida
como a "ciência" dos fenômenos; isso acontece por conta de que o procedimento fenomenológico, que está
embasado na

máxima: "voltar às coisas elas mesmas", é, antes de mais nada, o princípio de toda e qualquer ciência enquanto
âmbito investigativo. Nessa perspectiva, a fenomenologia deve ser o método que explicite - a partir de seu
procedimento - o objeto temático da ontologia, isto é, enquanto método investigativo que deixa e faz ver as coisas a
partir de como elas mesmas se mostram, a fenomenologia deve explicitar o ser dos entes, tornando-se, dessa forma,
o método que possibilita - não apenas o esclarecimento do objeto ontológico, mas que admita - a recolocação da
questão do sentido do ser em geral em Ser e Tempo.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.