OS ARGUMENTOS CÉTICOS DE HUME CONTRA A EXISTÊNCIA DE UM MUNDO EXTERNO

Dener de Souza Borges

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo analisar os principais argumentos do ceticismo de David Hume contra a
noção geral de existência do mundo e os argumentos apresentados pelos filósofos para justificar objetos contínuo e
distinto da mente. Será utilizado como fonte principal as obras: Tratado da natureza humana (2009) e Investigações
sobre o entendimento humano (2004). Durante essa análise será examinado o pensamento humano acerca da
natureza das percepções, mostrando ser sua conclusão contrária ao vulgo e ao sistema filosófico de sua época que
buscou justificar uma dupla existência: percepções e objetos externos, sendo estes responsáveis pelas primeiras. Em
seguida será apresentado o argumento de que a noção de existência contínua e distinta de objetos é uma forte crença
que se fundamenta principalmente com as impressões registradas na memória e ganham força por meio do hábito.
Por fim será apresentado as causas, como Hume demonstra, de um mundo contínuo e distinto da mente, mostrando
que essas causas não são suficientes para sustentar a crença em um mundo externo.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.