Os velhos, as melhores referências: o etnoconhecimento como patrimônio cultural da comunidade indígena Tentehar (Maranhão, Brasil)

Neusani Oliveira Ives, Flávio Bezerra Barros, Luiza Nakayama

Resumo


Buscar saber a história dos mais velhos de uma comunidade indígena é correr atrás não apenas das lembranças e experiências de uma vida toda do "cidadão comum", mas também de um patrimônio cultural, que se não for reconhecido e valorizado, se perderá irremediavelmente no tempo e no espaço. Assim, neste artigo, objetivamos fazer uma descrição cosmológica do ser Tentehar a partir da narrativa de seu Alderico. Constatamos que a religião protestante vem interferindo e provocando mudanças nos traços culturais Tentehar, como, por exemplo, a nova versão da Festa do Moqueado. Segundo este ancião, os Tentehar ainda mantêm demarcada sua pertença étnica, manifestada na fé em seu pajé, na pintura corporal e em seus mitos e magias. Portanto, mesmo que se conceba que o centro cultural esteja em permanente movimento, este especialista Tentehar atribui à sua cultura e à sua posição um significado no contexto diaspórico e fluido, regulado pela entrada e saída de influências internas e externas. Tais significados constroem a alteridade como um limite demarcador de fronteira étnica.

Palavras-chave: Fronteiras étnicas. Saberes tradicionais." Especialista Tentehar. Pertença étnica.

The elderly, the best references: ethnical knowledge as cultural heritage - the Tentehar indigenous community, Maranhão State, Brazil

Seeking to learn the elderly’s stories in a community means not only grasping memories and experiences of ‘common citizens’ but also cultural heritage that should be acknowledged and valued, to avoid its eradication. Therefore, this paper made a cosmological description of the indigenous Tentehar tribe through the narrative of an elder, Mr. Alderico. We observed that the Protestant Church has been interfering and changing Tentehar customs. For instance, Protestantism has contributed to the creation of a new version of the Moqueado Festival. According to Mr. Alderico, the Tentehar retain ethnic traditions by relying on their pajé (sorcerer and healer), painting their bodies, telling old legends, etc. Therefore, even though cultural centers are in constant transformation, the Tentehar specialist attributes meaning to his culture and position in a diasporic and fluid context, which is regulated by internal and external exchanges. These meanings construct alterity as a marker of an ethnical border.

Keywords: Ethnical borders. Traditional knowledge. Tentehar specialist. Ethnical belonging.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN Eletrônico: 2237-0315              ISSN Impresso: 1981-9269

This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License

Licença Creative Commons