CURSOS DO CCNT

TECNOLOGIA EM AN√ĀLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

APRESENTAÇÃO

O curso de Graduação em Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas tem como objetivo formar profissional com perfil de Analista e Desenvolvimento de Sistemas que possa projetar e desenvolver software e aplicativos para empresas, além de desenvolver sistemas de informação e gestão de empresas.

O curso oferece consistente base teórica e prática em informática, focada em Tecnologia de Informação, permitindo que os futuros profissionais possam desenvolver atividades voltadas para as áreas de administração de dados e de desenvolvimente de sistemas para internet e dispositivos móveis e empreendedorismo. O Curso fuciona em regime de seriado por blocos de disciplinas semestrais, com duração total de 2470 horas e duração mínima de três anos.

Ao final do curso o Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas poderá atuar em:

  • An√°lise e desenvolvimento de sistemas;
  • An√°lise de neg√≥cios e requisitos
  • Ger√™ncia das √°reas de Tecnologia da Informa√ß√£o em Organiza√ß√Ķes (desenvolvimento de sistemas, web, rede de computadores, banco de dados, etc.);
  • Empreendedorismo na √°rea de Tecnologia de Informa√ß√£o.

O Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas poderá atuas em:

  • Empresas p√ļblicas ou privadas;
  • Como profissionais liberal;
  • Sendo empreendedor, criando seu pr√≥prio neg√≥cio.

Projeto Pedagógico:

TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

RESOLU√á√ÉO DE RECONHECIMENTO N¬ļ 320 DE 15 DE MAIO DE 2014

APRESENTAÇÃO

O Curso de Gradua√ß√£o em Tecnologia de Alimentos √© um curso de n√≠vel superior ofertado em Bel√©m e nos Campi de Castanhal, Salvaterra, Camet√°, Marab√° e Reden√ß√£o. O Curso Gradua√ß√£o de Tecnologia de Alimentos possui dura√ß√£o m√≠nima de 3,5 (tr√™s anos e meio) e carga hor√°ria total de 2857 horas, divididas em disciplinas obrigat√≥rias, est√°gio supervisionado, trabalho de conclus√£o de curso e atividades complementares. Apresenta uma proposta inovadora para o desenvolvimento das cadeias produtivas frut√≠colas, do leite, de carnes, tub√©rculos, mel e pescado, buscando promover a qualifica√ß√£o de profissionais para atuar em ind√ļstrias aliment√≠cias, institui√ß√Ķes de ensino e pesquisa e em atividades de extens√£o voltadas para a agricultura familiar.

Assim, o curso de graduação em Tecnologia de Alimentos vem contribuir para a formação de mão-de-obra qualificada para atuar nos mais diferentes seguimentos do setor alimentício, incentivando o desenvolvimento de produtos e tecnologias que possam agregar valor a matérias primas regionais, conferindo-lhes confiabilidade e a competitividade tão desejada.

PERFIL PROFISSIONAL

O Curso se prop√Ķe a orientar e fornecer os conhecimentos espec√≠ficos para que subsidiem a elabora√ß√£o, conserva√ß√£o e aproveitamento m√°ximo de produtos aliment√≠cios para a industrializa√ß√£o e preparo, aplicando conhecimento de t√©cnicas e opera√ß√Ķes de natureza f√≠sica, qu√≠mica e biol√≥gica, sem negligenciar a percep√ß√£o de que o processo econ√īmico deve servir-se da natureza, considerando os limites que a pr√≥pria natureza imp√Ķe ao processo produtivo. Nesse contexto, o profissional procurar√° sempre promover o total aproveitamento de mat√©rias-primas oriundas do setor agr√≠cola, pecu√°rio e pesqueiro.

Ao final de sua forma√ß√£o, o Tecn√≥logo de Alimentos estar√° apto ao desenvolvimento, aplica√ß√£o e difus√£o de tecnologias voltadas para o setor aliment√≠cio, podendo atuar no ensino, pesquisa, extens√£o e ind√ļstria tanto como agente quanto gerentes em processos produtivos relacionados √† produ√ß√£o aliment√≠cia.

ATUAÇÃO

O mercado para o profissional formado em Tecnologia de Alimentos √© crescente promissor. As √°reas de atua√ß√£o concentram-se em ind√ļstrias aliment√≠cias de produtos de origem animal e vegetal; empresas de armazenamento e distribui√ß√£o de alimentos; institui√ß√Ķes de pesquisas cient√≠ficas e tecnol√≥gicas; institui√ß√Ķes de ensino que trabalhem na √°rea de Tecnologia de Alimentos; empresas dedicadas √† manipula√ß√£o e com√©rcio de produtos aliment√≠cios como padarias, restaurantes, hot√©is, supermercados, frigor√≠ficos, cozinhas industriais e hospitalares; √≥rg√£os p√ļblicos; presta√ß√£o de servi√ßos t√©cnicos especializados; laborat√≥rios de an√°lises f√≠sico-qu√≠micas, sensoriais e microbiol√≥gicas; inspe√ß√Ķes sanit√°rias e empresas de consultoria.

QUALIDADES DESEJAVEIS PARA O VESTIBULANDO

Para um bom desempenho durante o Curso, o aluno interessado em cursar Tecnologia de Alimentos deverá gostar de química, física e biologia, disciplinas que servirão como base para um bom entendimento das disciplinas específicas de produtos de origem animal e vegetal. Deverá ser uma pessoa curiosa, observadora e crítica, além de estar sempre disposta a inovar e encarar desafios. Espírito de liderança e capacidade de trabalhar em equipe serão características desejáveis e poderão ser trabalhadas durante o Curso.

Projeto Pedagógico:

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

APRESENTAÇÃO

A Engenharia de Produ√ß√£o se dedica ao estudo, projeto e ger√™ncia de sistemas integrados de pessoas, materiais, equipamentos e ambientes, visando a melhoria da produtividade do trabalho, da qualidade do produto e da sa√ļde das pessoas.

Caracteriza-se por uma engenharia de m√©todos e de procedimentos, o que lhe permite abranger os mais diferentes ramos: de telecomunica√ß√Ķes a agricultura, da administra√ß√£o a constru√ß√£o civil, do com√©rcio aos servi√ßos. O curso √© desenvolvido a partir de nove grandes √°reas: Engenharia do Produto, Projeto de F√°brica, Processos Produtivos, Ger√™ncia da Produ√ß√£o, Qualidade, Pesquisa Operacional, Engenharia do Trabalho, Estrat√©gia e Organiza√ß√Ķes e Gest√£o Econ√īmica.

O Curso é seriado por blocos de disciplinas semestrais e tem 3.840 horas. A duração mínima de cinco anos e máxima de nove.

PERFIL DO PROFISSIONAL

O curso de Engenharia de Produção fornece subsídios necessários à formação básica e profissional tecnológica do aluno, oportunizando meios para o desenvolvimento de conhecimentos voltados para a administração de produção e atuação no segmento industrial, comercial ou de prestação de serviços. O objetivo é o desenvolvimento de projetos, a melhoria e a implantação de sistemas integrados que envolvam homens, materiais e equipamentos, especificamente na área de Gerência de Produção.

ATUAÇÃO

O Engenheiro de Produ√ß√£o pode atuar no planejamento, desenvolvimento de projetos, avalia√ß√£o e controle de sistemas de produ√ß√£o, integrando homens, m√°quinas, economia e meio ambiente. Pode ainda exercer essas qualifica√ß√Ķes em empresas produtoras de bens industriais e agroindustriais (setores coureiro-cal√ßadista, ouro e gemas, moveleiro, alimentos, leite, sider√ļrgico, constru√ß√£o civil, transporte, extrativismo mineral e produ√ß√£o prim√°ria), na √°rea de servi√ßos em geral (banco, hot√©is, hospitais, sistemas de transporte, etc.) e institui√ß√Ķes de ensino superior e pesquisa.

Projeto Pedagógico:

ENGENHARIA AMBIENTAL

APRESENTAÇÃO

O Curso de Engenharia Ambiental envolve as √°reas das Ci√™ncias Exatas e Naturais e tamb√©m utiliza conhecimentos das Ci√™ncias Biol√≥gicas e Sociais. Destina-se √† forma√ß√£o de t√©cnicos de n√≠vel superior e pesquisadores, que tem a preocupa√ß√£o com os danos ambientais. A profiss√£o veio ocupar seu espa√ßo no mercado de trabalho como uma ferramenta eficaz para o estudo, compreens√£o e solu√ß√£o de problemas ambientais originados pela a√ß√£o antr√≥pica decorrente da produ√ß√£o de bens e servi√ßos, disponibilizados √† sociedade contempor√Ęnea. O Curso √© seriado por blocos de disciplinas semestrais e tem 3.810 horas. A dura√ß√£o m√≠nima de cinco anos e m√°xima de dez.

ATUAÇÃO

O Engenheiro Ambiental tem por fun√ß√£o primordial planejar, gerir e executar a√ß√Ķes mitigadoras que minimizem a deteriora√ß√£o da ambi√™ncia, de modo a assegurar a preserva√ß√£o da qualidade de vida. Sua forma√ß√£o o habilita a estabelecer estreitos di√°logos, tanto para a troca de conhecimentos t√©cnico-cient√≠ficos e experi√™ncias, como no relacionamento com outras profiss√Ķes tradicionais, o que lhe confere um importante papel na solu√ß√£o de quest√Ķes interdisciplinares, tais como: controle da qualidade ambiental, gest√£o e tratamento de res√≠duos s√≥lidos, polui√ß√£o da √°gua, ar e solo, saneamento, an√°lise de riscos ambientais, energias renov√°veis e alternativas, gest√£o e planejamento ambiental, auditorias ambientais, gest√£o de recursos h√≠dricos, recupera√ß√£o de √°reas degradas, etc.

Esta forma√ß√£o profissional habilita o Engenheiro Ambiental, tamb√©m, a intervir em diversos processos de produ√ß√£o, atendendo a imposi√ß√Ķes legais e tecnol√≥gicas e metodologias auxiliares dispon√≠veis √†s a√ß√Ķes corretivas ou preventivas, na apropria√ß√£o de recursos naturais. O Engenheiro Ambiental pode atuar em empresas p√ļblicas ou privadas na gest√£o ou assessoria a projetos que objetivem a extra√ß√£o ou a transforma√ß√£o de recursos naturais.

Projeto Pedagógico:

ENGENHARIA FLORESTAL

RESOLU√á√ÉO DE RECONHECIMENTO N¬ļ 319 DE 15 DE MAIO DE 2014

APRESENTAÇÃO

O Curso de Gradua√ß√£o em Engenharia Florestal do Centro de Ci√™ncias Naturais e Tecnologia ‚Äď CCNT, da Universidade do Estado do Par√° (UEPA), √© ofertado em Bel√©m e nos Campi de Paragominas e Marab√°. Possui dura√ß√£o m√≠nima de 5 anos e uma carga hor√°ria total de 3.793 horas incluindo disciplinas do n√ļcleo b√°sico, n√ļcleo profissional, trabalho de conclus√£o de curso, est√°gio supervisionado e atividades complementares.

Apesar de existirem outros Cursos de graduação em Engenharia Florestal na região, o Curso de Engenharia Florestal oferecido pela Universidade do Estado do Pará apresenta projeto pedagógico diferenciado e inovador. Além das competências tradicionais comumente trabalhadas nos Cursos de Engenharia Florestal, o projeto procurou diferenciar-se dos demais, com a inserção de disciplinas de tecnologia da madeira e industrialização e processos industriais madeireiros que permitirão ao egresso uma visão mais ampla da cadeira produtiva florestal indo da floresta aos produtos acabados de base florestal.

PERFIL PROFISSIONAL

O Engenheiro Florestal formado pela Universidade do Estado do Par√° possuir√°, ao final de sua gradua√ß√£o, s√≥lida forma√ß√£o cient√≠fica e profissional geral que possibilite absorver e desenvolver tecnologia; capacidade cr√≠tica e criativa na identifica√ß√£o e resolu√ß√£o de problemas, considerando seus aspectos pol√≠ticos, econ√īmicos, sociais, ambientais e culturais, com vis√£o √©tica e human√≠stica, em atendimento √†s demandas da sociedade; compreens√£o e tradu√ß√£o das necessidades de indiv√≠duos, grupos sociais e comunidade, com rela√ß√£o aos problemas tecnol√≥gicos, socioecon√īmicos, gerenciais e organizativos, bem como utiliza√ß√£o racional dos recursos dispon√≠veis, al√©m da conserva√ß√£o do equil√≠brio do ambiente; e capacidade de adapta√ß√£o, de modo flex√≠vel, cr√≠tico e criativo, √†s novas situa√ß√Ķes.

ATUAÇÃO

O engenheiro florestal tem campo de atua√ß√£o na √°rea p√ļblica, em atividades t√©cnicas e cient√≠ficas, em institui√ß√Ķes de pesquisa e extens√£o, em institutos de prote√ß√£o ambiental, nas prefeituras municipais e secretarias estaduais, agindo na fiscaliza√ß√£o do cumprimento das leis ambientais. No setor privado, poder√° atuar em companhias de reflorestamento, em ind√ļstrias madeireiras e moveleiras, em f√°bricas de papel e celulose, em projetos ambientais, em empresas de minera√ß√£o e na recupera√ß√£o de √°reas degradadas, nas empresas de consultoria e como consultor aut√īnomo, assim como em Organiza√ß√Ķes n√£o Governamentais (ONGs) que t√™m requisitado muito esses profissionais, principalmente em trabalhos relacionados com a conserva√ß√£o do meio ambiente.

Entre as áreas de atuação do Engenheiro Florestal no Estado do Pará, destacam-se:

MANEJO FLORESTAL E SILVICULTURA
ECOLOGIA APLICADA
TECNOLOGIA DE PRODUTOS FLORESTAIS
QUALIDADES DESEJ√ĀVEIS PARA O VESTIBULANDO

Para um bom desempenho durante o Curso, o aluno interessado em cursar Engenharia Florestal na gostar de qu√≠mica, f√≠sica e biologia, disciplinas que servir√£o como base para um bom entendimento das disciplinas espec√≠ficas nas √°reas de silvicultura, manejo e tecnologia de produtos florestais. Dever√° ser uma pessoa de esp√≠rito aventureiro, disposta a viajar e desbravar as regi√Ķes de potencial florestal do estado. Dever√° ser observadora, curiosa e cr√≠tica, al√©m de estar sempre disposta a inovar e encarar desafios. Esp√≠rito de lideran√ßa e capacidade de trabalhar em equipe ser√£o caracter√≠sticas desej√°veis e poder√£o ser trabalhadas durante o Curso.

Projeto Pedagógico:

DESIGN ‚Äď HABILITA√á√ÉO EM PROJETO DO PRODUTO

APRESENTAÇÃO

O Curso de Design forma profissionais para desenvolver projetos de produtos industrializados, que participam do cotidiano do homem e colaboram com a sua qualidade de vida. Esses objetos abrangem produtos simples, sofisticados e complexos. O designer utiliza m√©todos de trabalho que envolve um conjunto de informa√ß√Ķes e conhecimentos de ordem tecnol√≥gica, ergon√īmica, psicol√≥gica, mercadol√≥gica, est√©tica, econ√īmica e cultural, gerando alternativas at√© o encontro de uma solu√ß√£o final para o produto e sua coloca√ß√£o no mercado consumidor.

O objetivo do Curso de Design é formar profissionais capacitados a identificar as atuais e futuras potencialidades regionais e utilizá-las para o desenvolvimento de produtos manufaturados, com a proposta de agregar maior valor à matéria-prima local, utilizando todas as ferramentas da profissão.

O Curso é seriado por blocos de disciplinas semestrais e tem 3.220 horas. A duração mínima de quatro anos e máxima de sete.

ATUAÇÃO

O Bacharel em Design poder√° atuar em empresas p√ļblicas ou privadas e tamb√©m como profissional liberal, sendo empreendedor e criando seu pr√≥prio neg√≥cio. As √°reas de atua√ß√£o do designer s√£o: M√≥veis, Artesanatos, Moda, Embalagem, Joias e Gr√°fico.

Projeto Pedagógico: