Quem somos

Histórico

O Herbário Profª Drª Marlene Freitas da Silva (MFS) foi criado em 2011 na Universidade do Estado do Pará (UEPA) a partir dos resultados obtidos com o projeto “Coleção de frutos, sementes e plântulas amazônicas: conhecimento e valorização do patrimônio genético natural”. A equipe de trabalho é formada por professores, técnicos e alunos da Universidade do Estado do Pará (UEPA) e também por colaboradores de outras instituições de pesquisa. No ano de 2012, o herbário foi institucionalizado pela resolução N° 887/2012 CONCEN/CCSE, estando vinculado ao Centro de Ciências Sociais e Educação da universidade. Acesse O Herbário para saber mais sobre nossa missão, papéis e outros aspectos de atuação.

O Acrônimo do Herbário

O Herbário MFS recebeu seu nome em homenagem à Drª. Marlene Freitas da Silva (1937-2005), importante taxonomista da Amazônia especializada na família botânica Leguminosae (Fabaceae Lindl).

Nascida em Manaus, em 12 de agosto de 1937, graduou-se em Farmácia e Bioquímica pela Universidade do Amazonas (1970); fez especialização em Botânica Elementar pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (1950 e 1955), Curso Básico de Botânica pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro (1955), Latim para Botânicos pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (1969); cursou o mestrado em Ciências Biológicas (Botânica) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (1976) e doutorou-se em Ciências Biológicas (Botânica) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (1980).

Fundou o Departamento de Botânica do INPA, atual Coordenação de Pesquisas em Botânica. Atuou nas áreas de sistemática, palinologia, agronomia, morfologia, fitossociologia, etc. Além de trabalhar com a família Leguminosae (Fabaceae Lindl.), seus estudos envolveram também as Bignoniaceae, Clusiaceae, Elaeocarpaceae, Euphorbiaceae, Podostemaceae, Rutaceae, Sapindaceae, Sapotaceae, Sterculiaceae e Styracaceae. Ao longo de quase 50 anos de vida dedicada à Botânica, participou de vários projetos de pesquisa, recebeu 17 premiações, sendo a mais recente em 2005 (Comenda do Mérito Farmacêutico); autora de mais de uma centena de publicações científicas, sendo 72 artigos em periódicos nacionais e internacionais, 13 livros, oito capítulos de livros e 96 resumos em anais de eventos científicos. É uma entre os poucos brasileiros a ter seus trabalhos divulgados na “Flora Neotrópica”. Além de receber homenagens de botânicos, tendo seu nome em novas espécies de plantas.

Para saber mais sobre a sua vida e obra, acesse:

Rodrigues, William A. (2006). Marlene Freitas da Silva (1937-2005). Acta Amazonica36(1), 59.