Poema de Johann Wolfgang von Goethe – Ginkgo biloba – 1815

Ginkgo biloba – 1815

A folha desta árvore que de Leste
Ao meu jardim se veio afeiçoar,
Dá-nos um gosto de um sentido oculto
Capaz de um sábio edificar.

Será um ser vivo apenas
Em si mesmo em dois partido?
Serão dois que se elegeram
E nós julgamos num unidos?

P’ra responder às perguntas
Tenho o sentido real:
Não vês por meus cantos como
Sou uno e duplo, afinal?


Disponível em: A GRANDE POESIA – “Ginkgo biloba” – Johann Wolfgang von Goethe

%d blogueiros gostam disto: